ALUNA DA REDE MUNICIPAL DE CONTAGEM VAI INTEGRAR A ESCOLA DO TEATRO BOLSHOI NO BRASIL

Marcelo Grillo
Repórter

Quando criança brincávamos de bombeiro, médico, cabeleireiras.
Usávamos as tampas das panelas para imaginar um volante de caminhão. Ou transformar escovas de cabelo em microfone e cantarolar pela casa. Os sonhos de criança forjados pelas brincadeiras, muitas vezes travessuras, anunciavam a escolha de um
futuro profissional. Eis que o sonho e a realidade se aproximaram e trouxeram para a vida da pequena Lara, uma grande história.
Lara Vitória dos Reis Ramos, a estudante de 13 anos da E.M. José Silvino Diniz, no bairro Solar do Madeira, em Contagem, é a mais nova integrante do Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. A jovem bailarina foi selecionada entre mais de 300 candidatos, em audição realizada durante o Festival da Dança de Joinville (SC),
no mês de julho de 2019.
O evento é citado como o “Maior Festival de Dança do Mundo” no Guinness Book, desde 2005. Lara foi selecionada para uma das oito vagas oferecidas pelo instituto no ano de 2019.
A história de Lara é uma mistura da paixão pela arte e responsabilidade social. Descoberta pelas irmãs Samarino (Natália, Nádia e Débora), bailarinas e proprietárias da Pas de Quatre Centro de Danças, a pequena dançarina frequentava as aulas do Centro Cultural do Bairro das Indústrias, na região do Barreiro, onde iniciava os primeiros passos no jazz. O olhar das professoras logo percebeu o grande futuro que aquela menina tímida poderia ter. As empresárias não deixaram por menos e ofereceram uma bolsa integral para a promissora bailarina, iniciando ali uma trajetória de conquistas. “Desde que fundamos nossa escola, assumimos o compromisso de manter alunos bolsistas e oferecer a quem tem um sonho, e não pode pagar, a oportunidade de levar este sonho adiante. A Lara foi um ‘achado’ maravilhoso e sabíamos que ela chegaria longe, pela dedicação, concentração e vontade que ela mostrou desde que chegou aqui”, destaca a professora e bailarina
Nádia Samarino. “Ela tem um diferencial, um dom que percebemos logo nos primeiros dias. Às vezes ficava observando as aulas dos alunos mais avançados e reproduzindo os movimentos e coreografias do ballet. Isso nos trouxe a certeza de que o clássico era o caminho a seguir, e hoje comemoramos esta conquista com muito orgulho e a alegria de ter aberto as portas e contribuído para o futuro da ‘nossa Lara”, reforça a professora Natália.
Com apenas nove anos de idade Lara já dava sinais de que seguiria o
caminho da dança. Através do incentivo da mãe, Eliene Barros, a garota conheceu os primeiros passos do ballet, o que despertou o interesse pela arte.“Eu mostrei a ela uma apresentação de ballet
pela televisão. Assistimos juntas e ela se encantou.
Pelo olhar da minha filha eu percebi que era uma oportunidade e busquei um local onde ela pudesse iniciar o aprendizado. E logo veio a grande chance.

recommend to friends
  • gplus
  • pinterest