Três mentes criativas, seis mãos habilidosas e uma infinidade de possibilidades desenvolvidas com a cerâmica

 

 

 

 

 

 

 

Família mineira investe na criação de peças artesanais em cerâmica desde 2002; objetos são produzidos n´O Ateliê de Cerâmica, localizado no centro de Contagem

A relação que Flávia Soares e os filhos Daniel Romeiro e Luiza Soares possuem com a cerâmica é muito singular e ao mesmo tempo visceral. Enquanto o designer utiliza-se muito do torno para dar forma às suas peças, Flávia e Luiza optaram por seguir uma linha mais livre em suas criações, mas com habilidades bastante distintas: a primeira produz objetos baseados em técnicas mais clássicas, e a segunda preza pela elaboração de esculturas e peças que complementam seu trabalho como paisagista. Assim, quando a família se reúne para produzir artefatos, cada item criado em conjunto carrega harmoniosamente o estilo de cada um dos artistas.

Essa forma de trabalhar, aliás, é que dá a tônica d´ O Ateliê de Cerâmica. Localizado no centro de Contagem, cidade industrial que integra a Região Metropolitana de Belo Horizonte, o espaço fundado por Flávia Soares em 2002, já passou por várias ampliações e adaptações nesse período. Todos se envolvem ativamente em todos os processos de construção artística. A criação de uma simples xícara (que na verdade nem é tão simples assim) geralmente envolve a participação dos três: entre o desenho, modelagem, esmaltação e queima, as peças passam por várias mãos. Dessa forma, cada produto produzido pelo trio é único. Dentro d’O Ateliê de Cerâmica não existe produção em série. Trabalhar de forma artesanal é força-motriz destes artistas. Cada artista possui uma linha de trabalho completamente diferente do outro, mas que se complementam justamente pelas possibilidades que o material oferece: “A cerâmica é muito versátil. É um material encontrado tanto na arqueologia, vestígios de culturas antigas, quanto na tecnologia avançada. Ela está pulverizada em tudo. Podemos transformar a argila no que a gente quiser”, argumenta Daniel.

O Ateliê de Cerâmica garante processos sustentáveis de produção, prezando por uma escala reduzida. Todos os materiais manipulados são de qualidade atestada, 100% atóxicos e reutilizáveis, gerando peças utilitárias resistentes ao uso cotidiano, adequadas para fornos de cozinha tradicionais, microondas e até máquinas de lavar louça.

Criação Autoral

Na produção, a família preza pelas peças autorais, verdadeiras obras de arte. Tanto que precisaram construir uma galeria dentro do ateliê, projetada pelo arquiteto Gabriel Castro em parceria com Luiza Soares para abrigar exposições de trabalhos do trio ao longo do ano ou de artistas convidados a ocupar o espaço.

A criatividade e as referências de cada um é que dão forma aos objetos. Por isso, o trio comercializa apenas as suas criações: “Os objetos têm particularidades de nossa personalidade. Gostamos de ter liberdade para criar e não produziríamos peças em série com o único objetivo de vender”, argumenta Luiza.

Espaço acessível e aconchegante

Com uma fachada super-charmosa, os visitantes encontram, ao passar pelo jardim de entrada, uma pequena loja onde os objetos são comercializados. Há desde xícaras de café até grandes esculturas criadas com técnicas e acabamentos diversos. O espaço foi inteiramente pensado de forma a acolher e receber bem o visitante. Até o mobiliário foi desenhado dentro do próprio ateliê, garantindo que a cerâmica seja a protagonista dos ambientes.

Além da loja, o ateliê ainda conta com uma sala de exposições, que também abriga diversas outras atividades culturais e vivências, além de um café, circundado por um vasto e aconchegante jardim, pensando nos mínimos detalhes, que mistura diversas espécies de plantas como folhagens, suculentas, bromélias e uma coleção de orquídeas – uma das paixões da fundadora do ateliê. O lugar é tão agradável que é possível ficar um dia inteiro lá sem se dar conta do tempo exato destinado a explorar cada cantinho do espaço. Os três, aliás, estão na maioria das vezes disponíveis para um bom papo, acompanhado de uma xícara de chá ou café e de um delicioso bolinho, assado diretamente no pote de cerâmica. Umas das opções mais procuradas é o bolinho de cacau com laranja e especiarias, uma receita vegana – que já é uma das marcas do ateliê. A iguaria vem acompanhada de uma calda de cacau, que é servida à parte.

O espaço ainda conta com uma programação que inclui exposições de arte, aulas de yoga, oficinas, workshops e eventos gastronômicos, sempre usando a cerâmica como elemento principal para qualquer atividade.

A paixão pela cerâmica

Tudo teve início quando Flávia Soares ingressou para o curso de Design de Ambientes, oferecido pela Escola de Design da UEMG, antiga FUMA, na década de 90. Lá, ela teve seus primeiros contatos com a cerâmica e especializou-se na produção de peças feitas a partir da argila. Luiza Soares, que sempre acompanhou de perto os trabalhos da mãe, interessou-se desde jovem pela arte de produzir peças em cerâmica. É formada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC Minas, com especialização em paisagismo. Daniel Romeiro iniciou seu contato com as técnicas de torno de maneira autodidata durante um período ocioso em função de uma greve na UFMG, onde estudou Literatura. Mais tarde, encontrou novas aplicações para as habilidades com a cerâmica no curso de Design de Produto, na UEMG. Desde então, nunca mais parou de produzir.

Mudança de nome

Inicialmente batizado de Ateliê de Cerâmica Flávia Soares, o espaço agora é chamado de “O Ateliê de Cerâmica”. A mudança veio com o objetivo de não associar o local a uma única artista, mas priorizar o trabalho conjunto, da forma como vem sendo desenvolvido nos últimos quatro anos de atividades.

A nova identidade, desenvolvida pelo designer Thomaz Lanna, propõe a introdução do artigo ‘O’ para dar força ao novo nome e evidenciar sua particularidade, atendendo a necessidade de comunicar um espaço que abrigue o trabalho dos três ceramistas, além de todos os eventos e atividades que são realizados ali.

Além disso, tipografia e assinatura foram atualizadas a fim de manter o aspecto simples, limpo e despretensioso da maneira de comunicar do ateliê, e ao mesmo tempo reforçar um ar mais contemporâneo.

Por fim, todas as peças agora trarão uma marca na forma de ‘V’, retirada do acento da palavra “ateliê” grafada em português, configurando uma assinatura-símbolo do recipiente, arquétipo da cerâmica utilitária.

*Link apresentação nova identidade: https://readymag.ocom/u10266185/oateliedeceramica/

Ateliê de Cerâmica

Funcionamento: segunda à sábado, de 9h às 18h

Endereço: Avenida Prefeito Gil Diniz, 580, Centro, Contagem

Preços das peças: a partir de R$ 20 Contato: (31)98527-1497 / contato@ateliedeceramica.com

Redes SITE: www.ateliedeceramica.com FACEBOOK: www.facebook.com/atelieflaviasoares

INSTAGRAM: @ateliedeceramica

recommend to friends
  • gplus
  • pinterest