“O MEU BERNARDO MONTEIRO”

Entrevista com o autor Ailson Leite

Por Deborah Moreira (*)

“O Meu Bernardo Monteiro” de Ailson Leite narra à visão do cidadão de Contagem, Bernardo Pinto Monteiro, uma personalidade
importante que recebe uma homenagem em forma de texto. O sentimento de escrever essa história, sobre as famílias Gomes e Leite, e a relação dos mesmos com a cultura e esporte da cidade, fazem parte da narrativa. Os monumentos e os personagens marcam as escritas destas memórias de um garoto dos anos 70. O Jornal Notícias de Contagem entrou em contato com o autor e ele revelou um pouco sobre sua obra.

Confira:

JNC: Como surgiu a ideia da publicação?
Ailson: A ideia da publicação surgiu primeiramente do fato do lugar não ter registros quanto ao bairro, e toda a região de forma relevante.
E também em relação aos registros das duas vertentes de minha Família “Gomes, Leite” que contribuíram de forma direta ao desenvolvimento da região do bairro Bernardo Monteiro.

JNC: Fale sobre a pesquisa, como tudo iniciou?
Ailson: A pesquisa se iniciou quando eu ainda na faculdade de história precisava de um tema para a monografia, e em conversas
com meu avô “José Gomes dos Anjos Filho” e meu pai “José Eustáquio Leite” (ambos falecidos) me contaram boa parte da chegada de nossas famílias ao bairro. E, como eu já batalhava
a busca da memória do local e a restauração da estação ferroviária do Bernardo Monteiro desde 1998, produzindo gincanas culturais
e percorrendo a região em busca de documentos que pudessem
embasar historicamente a minha pesquisa.
JNC: E como foi o processo de editoração e publicação? Foi difícil encontrar uma editora?
Ailson: Eu tinha um material escrito, e não sabia que rumo tomar (risos), e por mais que conheça outros autores que já tenham publicado, fica difícil ter um norte. Entretanto, mandei o manuscrito a um amigo, professor da UFMG Cláudio Paixão que me incentivou a perseguir a publicação. E em uma busca na internet, encontrei a editora carioca Autografia, que comprou a ideia e me
deu todo o suporte. O professor Cláudio Paixão, inclusive escreveu o prefácio do livro.
JNC: E por fim fale um pouco sobre os monumentos históricos, claro sem dar “spoiler.”
Ailson: No livro, falo sobre o cidadão que dá nome ao bairro, sobre a história da chegada do trem de ferro a cidade de Contagem, e consequentemente Minas Gerais. Falo ainda dos monumentos que existem na região do Bernardo Monteiro como a estação ferroviária, a casa de cacos e a Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, da relação das famílias Gomes e Leite com a Cultura
e esportes da cidade, como a Granja AdéliaEsporte Clube e a banda
Liverpool e finalizo contando como é o meu Bernardo Monteiro, e muitos dos diversos personagens que enriquecem a história dessa
região, que é mágica.
JNC: Onde podemos encontrar os exemplares?
Quem quiser pegar comigo, tenho alguns exemplares a R$30,00. É só entrar em contato no whatsapp (31)99477-6484 Ou pelo site da editora Autografia:Link para compra do livro: www.autografia.com.br/loja/o-meu-bernardo-monteiro/detalhes

recommend to friends
  • gplus
  • pinterest