TJMG entrega doações para população em situação de rua

By
Foram doados 2 mil cobertores e sacos de dormir, além de 3 mil máscaras arrecadados na campanha

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por meio do Núcleo de Voluntariado, entregou nesta sexta-feira (28/5) dois mil cobertores para distribuição a cerca de 25 entidades da capital mineira que dão assistência a pessoas em situação de vulnerabilidade social, em especial, as que vivem em situação de rua. Os itens foram arrecadados durante a campanha “O inverno não é tão frio quando existe solidariedade”.

As doações foram entregues pelo presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Gilson Soares Lemes, e pela presidente do Núcleo de Voluntariado do TJMG, desembargadora Maria Luíza de Marilac, à Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte. A entrega ocorreu na Serraria Souza Pinto, onde funciona a frente humanitária Canto da Rua Emergencial.

Foram entregues também outros 300 cobertores, doados pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça de Minas Gerais (Sindojus), e três mil máscaras, confeccionadas pelos recuperandos das Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (Apacs) de Itabirito, Sete Lagoas e Passos.

O presidente do TJMG, desembargador Gilson Lemes, participou pessoalmente da entrega dos cobertores e das máscaras, nesta sexta-feira (28/5) (Foto: Mirna de Moura/TJMG)

Ações efetivas

“É uma grande alegria estar novamente no Canto da Rua para fazer essa entrega de cobertores doados, gentilmente, por magistrados, servidores, e pelo Sindojus e, também, máscaras confeccionadas por apaquianos. Desde que assumimos o TJMG, em 1º de julho de 2020, uma das primeiras providências que tomamos foi nos reunir com o nosso Núcleo de Voluntariado, que já era comandado pela desembargadora Maria Luíza de Marilac, para que pudéssemos otimizá-lo, tornando suas ações mais afetivas”, disse o presidente Gilson Lemes.

De acordo com o presidente do TJMG, o Núcleo de Voluntariado tem se empenhado bastante, nesses quase 11 meses da atual gestão. “Isso me traz muita satisfação, pois, além de ser um Tribunal que julga causas e decide conflitos, o Tribunal de Justiça de Minas precisa reforçar seu valor na sociedade como um órgão que distribui justiça de outras formas. Estes cobertores, com certeza, vão aquecer muitas pessoas que vivem sem um teto, sem condições mínimas para passar a noite”, afirmou. Ele agradeceu a todos os que contribuíram com a campanha.

A desembargadora Maria Luíza de Marilac agradeceu ao presidente Gilson Lemes pelo apoio às iniciativas do Núcleo de Voluntariado (Foto: Mirna de Moura/TJMG)

Dignidade e esperança

“A exemplo dos anos anteriores, o Núcleo de Voluntariado do TJMG se mobilizou em um esforço para amenizar os impactos do inverno, que traz madrugadas geladas e amplia o sofrimento dos moradores de rua em Belo Horizonte. São pessoas que não vivem debaixo de um teto e sob a proteção de quatro paredes. Realizamos, assim, a campanha de doação de cobertores e sacos de dormir”, disse a desembargadora Maria Luíza de Marilac.

Na avaliação da desembargadora, o trabalho voluntário tem o poder de multiplicar o bem, o amor ao próximo, à empatia. “As desembargadoras e os desembargadores, juízas e juízes e servidoras e servidores, bem como os terceirizados do TJMG, têm apoiado as ações do Núcleo. O resultado dessa campanha foi formidável e surpreendeu a todos, o que evidencia que, de fato, o inverno não é tão frio quando existe solidariedade”, ressaltou.

Para a desembargadora Maria Luiza de Marilac, toda essa mobilização traz um grande sentimento de alegria, pois ela simboliza a união de esforços para levar às pessoas em situação de maior vulnerabilidade social um pouco de dignidade e esperança. Junto a cada cobertor, disse a magistrada, foi colocado um folder com informações sobre o combate à violência contra a mulher, com dados sobre como acionar as polícias Civil e Militar e o Samu. O material faz parte de uma campanha educativa da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv/TJMG).

Além de agradecer a todos que colaboraram com a campanha, a desembargadora Maria Luíza de Marilac teceu agradecimentos especiais ao presidente Gilson Lemes, pelo apoio às ações do Núcleo de Voluntariado. Dirigindo-se diretamente ao presidente, ela disse: “Sua conduta pessoal evidencia a sua sensibilidade e a sua percepção de que as vantagens do serviço voluntário vão muito além da imagem do TJMG, fazendo com que todos se aproximem da reflexão sobre a importância da ação e do compromisso individual na construção de uma sociedade mais justa”, afirmou.

A irmã Cristina Bove, assessora da Pastoral do Povo de Rua, agradeceu ao TJMG pelo apoio às iniciativas em prol da população de rua (Foto: Mirna de Moura/TJMG)

União de esforços

A assessora da Pastoral do Povo de Rua, irmã Cristina Bove, expressou sua gratidão à desembargadora Maria Luíza de Marilac, pelo permanente apoio à campanha que acontece no inverno, em benefício da população de rua. “Em nome da população de rua, quero agradecer especialmente também ao presidente Gilson Lemes pelo apoio irrestrito ao Canto da Rua Emergencial e por esse olhar novo e diferenciado, que busca diminuir o sofrimento da população de rua”, disse.

A irmã Cristina Bove observou que, no inverno, a fragilidade aumenta e a vulnerabilidade se agrava. “O frio provoca doenças. Por isso, esse cuidado é muito importante. Esses cobertores simbolizam isso: proteção. Meus agradecimentos ao presidente Gilson Lemes, também, pela constante presença no Canto da Rua Emergencial. Essa é uma frente humanitária que se promoveu com o apoio de muitos interlocutores, entre eles, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais”, acrescentou.

Durante o ato de entrega das doações, a gestora da Rede Novo Olhar de Rua, Diva Salvador de Assis, também proferiu algumas palavras. “Viemos para propor um novo olhar, com a união de entidades e grupos, para que possamos nos fortalecer e levar mais dignidade para a população de rua, para o povo. A Rede Novo Olhar de Rua formou uma grande família que luta pelos direitos dessa população. Quando formamos uma rede, temos mais voz”, disse.

O diretor-geral do Sindojus, Eduardo Rocha, ao comentar sobre a doação feita pelo sindicato, ressaltou que os oficiais de justiça trabalham nas ruas, quando observam que há uma grande quantidade de pessoas vivendo em situação de vulnerabilidade. “Quando a Presidência nos chamou para ajudar nessa iniciativa, nossa adesão foi imediata. Juntamente com a ação GirAmor, fizemos uma grande campanha e, em apenas cinco dias, arrecadamos 300 cobertores. Sempre apoiaremos campanhas como esta”, afirmou.

Sobre a doação das máscaras confeccionadas nas Apacs, o desembargador Armando dos Anjos, coordenador-geral do Programa Novos Rumos do TJMG, disse: “A contribuição dos apaquianos e das apaquianas nessa ação solidária para os moradores de rua tem muito a ver com a própria situação deles. Quem sabe se outrora eles também já não foram cidadãos de rua que, por falta de oportunidades, ingressaram em uma seara, da qual agora tentam se livrar, com apoio das Apacs? Essa ação deles é uma demonstração do quanto desejam contribuir para o retorno coerente a uma sociedade mais justa”, destacou.

Presenças

Também participaram da entrega o juiz Sérgio Henrique Cordeiro Caldas Fernandes, titular da 23ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte e membro do Núcleo de Voluntariado do TJMG; o juiz auxiliar da Presidência Rui de Almeida Magalhães; a coordenadora da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte, Claudenice Rodrigues Costa; o chefe de gabinete da Presidência do TJMG, Alexandre Ramos Souza; e a fundadora e o voluntário da Ação GirAmor, respectivamente, Bhárbara Silva e Vinícius Carvalho, que é também servidor do TJMG.

Solidariedade

O interesse em comum em ajudar o próximo uniu magistrados, servidores, colaboradores e público externo. Entre os servidores, a escrivã Maria Rita Diniz e Silva, da 7ª Vara de Família da Comarca de Belo Horizonte, sentiu que deveria aderir à causa assim que recebeu o e-mail da campanha. O modo de ajudar foi mobilizar mais pessoas nesse propósito. Inicialmente, chamou os colegas de setor. Depois, comentou no grupo de escrivães e a ideia foi crescendo. Ao final, conseguiram arrecadar 400 cobertores para a campanha. “Fiquei emocionada. Não sabia que tinha tanta gente boa. Basta que uma pessoa tenha uma iniciativa e a divulgue, para fazer chegar um cobertor”, refletiu.

“Nesse momento difícil, nada melhor que poder contribuir”, afirmou Fabrício Sousa Gomes, presidente do Núcleo de Assistência Servidor Solidário (Naas). “É ótimo que exista essa parceria do Naas com o Núcleo, pensando no bem do próximo”.

Legenda da foto em destaque: As doações foram entregues na Serraria Souza Pinto, onde funciona a frente humanitária Canto da Rua Emergencial (Foto: Mirna de Moura/TJMG)
Veja mais fotos
Assessoria de Comunicação Institucional – Ascom
Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG

Você pode querer ler

Mais quentes