Vacinação de bancários e conselheiros tutelares é defendida

By
Justificativa é que trabalhadores dessas categorias atuam em ambientes de risco e não puderam parar durante a pandemia
Parlamentares usaram a tribuna do Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para defender a inclusão de duas categorias de profissionais no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. O deputado Noraldino Júnior (PSC) sugeriu a inclusão de bancários e a deputada Leninha (PT), a de conselheiros tutelares. Eles se pronunciaram na Reunião Ordinária desta terça-feira (8/6/21).

Noraldino Júnior foi contaminado pelo coronavírus, assim como sua esposa, que é bancária. A agência em que ela trabalha teve que fechar porque todos os funcionários contraíram a doença.

O deputado lembrou que durante a pandemia, mesmo com o lockdown em muitos segmentos, os bancos não só não fecharam, como apresentaram aumento de demanda, em função da crise financeira causada pela doença.

Conforme ressaltou, os bancários trabalham em ambientes fechados, sem ventilação, propícios à contaminação pelo vírus. “Os bancários estão, diariamente, em contato com a população, trazendo risco não só para eles, mas a todos que usam as instituições”, justificou. O parlamentar solicitou aos pares que assinem requerimento reivindicando a inclusão da categoria no Plano Nacional de Imunização.

Já a deputada Leninha abordou a situação dos conselheiros tutelares, que atendem casos de violência contra crianças e adolescentes. Segundo ela, são mais de 5 mil profissionais no Estado que também atuam em condições de vulnerabilidade.

Feminicídio – Em seu discurso, a deputada também demonstrou preocupação com o aumento do número de casos de feminicídio no Estado, especialmente no Norte de Minas, durante a pandemia.

A deputada Leninha também falou sobre o aumento dos casos de feminicídio

A deputada Leninha também falou sobre o aumento dos casos de feminicídio – Foto:Daniel Protzner

Ela se solidarizou com as famílias de quatro mulheres vítimas de homicídio na região nos últimos dias: Kelly Beatriz Lima, de 14 anos, assassinada em Pirapora; Jéssica Mayane Lopes, de 30 anos, em Claro dos Poções; uma jovem identificada apenas por M, morta em Coração de Jesus; e Rubi, mulher trans, cujo feminicídio se deu em Monte Azul.

“Penso ser o mais importante que, neste espaço em que estamos (a ALMG), estejamos alertas, dispostos a instituir no âmbito de Minas Gerais instrumentos e políticas públicas capazes de garantir a segurança, o bem-estar e a vida das nossas mulheres. A violência contra mulher é uma questão de saúde pública e pede urgência quanto à efetividade do Estado”, afirmou.

Comissões – Durante a Reunião Ordinária desta terça, também foram designados integrantes da Comissão Extraordinária de Turismo e Gastronomia. Pelo Bloco Minas São Muitas, foram indicados como efetivos os deputados Mauro Tramonte (Republicanos), Fernando Pacheco (PV) e Arnaldo Silva (DEM), tendo os deputados Duarte Bechir (PSD), Charles Santos (Republicanos) e Coronel Henrique (PSL) como suplentes.

Pelo Bloco Deputado Luiz Humberto Carneiro, o membro efetivo indicado foi o deputado Gustavo Mitre (PSC). O suplente é o deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB).

Pelo Bloco Democracia e Luta, o efetivo é Professor Cleiton (PSB) e o suplente, Ulysses Gomes (PT).

O Bloco Democracia e Luta também comunicou a cessão de uma vaga na Comissão de Segurança Pública para o Bloco Minas São Muitas e de outra vaga na Comissão de Esporte, Lazer e Juventude para o Bloco Deputado Luiz Humberto Carneiro.

Legenda da foto em destaque: Noraldino Júnior (centro), que foi contaminado pelo coronavírus junto com sua esposa, afirmou que bancários atuam em ambientes insalubres – Foto:Daniel Protzner

Você pode querer ler

Mais quentes