Contagem e Juiz de Fora trocam experiências na área da cultura

By

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Cultura, promoveu o quinto e último encontro do Seminário Formativo “Alianças Democráticas da Cultura”, com o tema: “Um trem que nos une: Sistema Nacional de Cultura”.

O seminário, que envolveu conselheiros e os servidores da Secretaria de Cultura de Contagem e da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage – Funalfa de Juiz de Fora, possibilitou a troca de informações acerca da estrutura dos programas e ações da cultura, a partir de uma perspectiva transversal do que foi consolidado no Sistema Nacional de Cultura.

Os encontros semanais, que ocorreram entre os meses de junho e julho, contaram com a participação de convidados que apresentaram temas que fizeram parte dos debates. Para o encerramento do seminário, realizado em 13/7, foi convidado o ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Ele disse que ficou feliz quando viu que Contagem e Juiz de Fora estão sendo administradas por duas mulheres fortes, Marília Campos e Margarida Salomão. Foi assim que percebeu que ambas as cidades teriam a cultura como ferramenta de resistência.

“Nesse momento de pandemia muitas cidades estão se aprimorando, sobretudo na cultura, para quando retornarmos as atividades estejamos bem mais organizados. Temos que incorporar a cultura como política pública. A cultura se manifesta em todos os espaços, principalmente nas periferias, onde os novos artistas estão se revelando em resposta às constantes exclusões que sofreram ao longo dos anos e ainda sofrem”, registrou Ferreira.

O ex-ministro lembrou ainda que a burocracia mata a criatividade, que não se pode ignorar as leis, mas que as leis inadequadas precisam ser modificadas. “Quando aprovaram a Lei Aldir Blanc alertei que muitos ficariam de fora por falta de experiência de gestão. Muitos não souberam como conduzir os processos e ficaram sem os recursos. Isso foi um indicador de que precisamos evoluir. A cooperação entre as secretarias pode ser a saída para se viabilizar a cultura de forma democrática”, frisou.

A secretária de Cultura, Monique Pacheco, disse que é possível mudar a sociedade quando se muda a mente das pessoas. “Agradeço a toda a equipe e principalmente ao Marcelo Bones. Agradeço também a equipe da Giane que participou conosco e ao Juca que representa o que a gente pode fazer e construir. Como secretária de Cultura tenho uma responsabilidade gigante para construir a cultura local. Quero dar as mãos a todos que estiverem dispostos a construir um tempo melhor para todos. Vamos trabalhar juntos e ninguém solta a mão de ninguém”.

A diretora-geral da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage – Funalfa, Giane Elisa, da Prefeitura de Juiz de Fora, disse que acredita ser possível refazer a cultura.

“Nesses encontros conseguimos fazer um debate entre servidores de Juiz de Fora e Contagem. Uma articulação necessária para a retomada da cultura de forma democrática. É muito importante acontecer nesses ciclos de debates para refletirmos a política pública cultural. A semelhança entre as duas cidades nos possibilita o compartilhamento das experiências. Um novo agir diante as reflexões”, ressaltou.

Também fez parte do último encontro a apresentação artística “Lúcio Honorato”, que exibiu uma peça em audiovisual produzida pelo artista. “Faço muitas caminhadas por Contagem e essa apresentação é um pouquinho dos registros que faço juntamente com minhas reflexões”, enfatizou.

O subsecretário de Cultura, Marcelo Bones, ressaltou a importância da presença do convidado especial, o ex-ministro Juca Ferreira e afirmou que vivemos uma conjuntura complicada da política e cultura é um elo que une. “A participação do Juca nos engrandece e como sempre é muito bom ouvi-lo. A experiência do ex-ministro é muito importante para todos nós. Precisamos mesmo pensar no futuro quando teremos a missão de fomentar a cultura pós-pandemia”, finalizou Bones.

Cultura – 20/07/2021, 14:10:46 – Repórter: 

Você pode querer ler

Mais quentes