A INCONFIDÊNCIA MINEIRA E O BRASIL QUE NINGUÉM QUERIA

By

Vandernilson de Araújo

Advogado

O Brasil passa por um dos momentos mais conturbados de sua história, corrupção, fraudes processuais, desvios, caixa dois, lava jato, mensalão, palavras que refletem diretamente os últimos 30 anos de governos perversos.
E para entendermos nosso presente é essencial compreender nosso passado. Olhando para as Minas Gerais, podemos identificar o dia 21 de abril como uma das datas mais importantes do calendário brasileiro.
Ademais nossa historicidade tributaria foi marcada pela “Conjuração Mineira” ou “Inconfidência Mineira”, revolta da então capitania mais audaciosa a época, contra a “besta” denominada “derrama” e “quinto” do Império português.
O período era da maior extração de ouro já vista, e o “povo” brasileiro deveria pagar a quinta parte, ou seja, vinte por centro de tudo o que era produzido, somado a derrama,  de modo que cada região
exploradora deveria pagar 100 arrobas de ouro (equivalente a 1500 quilos de ouro), por ano para a metrópole, e caso a região cumprimento das exigências, soldados da coroa portuguesa adentravam as
residências, para retirarem os pertences até completarem o valor devido.
Tais atitudes da corte portuguesa, levaram a uma imensa insatisfação da população, em especial aos grandes pagadores de tributos, em grande parte influenciados pelos ideais de liberdade iluministas,
fundados nas experiências revolucionarias Francesas e Americanas, se tornando, portanto, um símbolo de resistência, em busca de um governo republicano ligado a igualdade social.
Este movimento de caráter separatista, ocorrido no ano de 1789, evidenciado pelo acentuado aumento da pobreza, aumento da busca de arrecadação por parte do detentor do poder, a corte portuguesa, bem
como o auto endividamento populacional, em especial o do empresariado a época.
A revolução ficou marcada pela celebração anual, considerando a data do dia 21, de abril de 1792, momento que o grande líder do movimento conhecido e reconhecido como Tiradentes alcançou status de mor mártir da Inconfidência Mineira.

Ademais, muito conhecida pelas bravas lutas, dentre outros motivos, com objeto principal da revolução, as articulações datadas da época buscavam essencialmente uma igualdade tributaria.

Já passados mais de 220 anos, aonde população brasileira encontrava-se revoltada contra seus governantes cobrarem com aproximadamente 20% (vinte por cento), de tudo o que era produzido, nos dias atuais, a população em nada questiona os aproximadamente 57% (cinquenta e sete por-cento) de seus rendimentos pagos ao governo através de tributos.

Considerando que estes recursos em grande parte se destina ao governo federal, que mantém um poder legislativo e um judiciário que efetivamente não produzem nada perto ao seu dever, além de manter sob suas assas estados e municípios, podemos chegar a algumas conclusões:
A primeira que uma reforma política e tributária é essencial para voltarmos a crescer.

Segundo, a população brasileira está coagida, incomodada, insatisfeita com tanta corrupção escancarada.

E você enquanto leitor pode nos ajudar comentando em nossa página no Facebook, destacando as principais inconformidades e qual a solução sob o seu ponto de vista.

Fato é, precisamos mudar, buscar alternativas justas, para todos. De modo que não onerem uns em favorecimento de outros

Você pode querer ler

Mais quentes