Com as mudanças climáticas, Minas Gerais pode perder protagonismo na produção de café

By

Premiado, estudo da Face, tema do programa ‘Aqui tem ciência’, também projeta efeitos sobre as desigualdades regionais

Mudanças climáticas podem provocar perdas no Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 3,5 a R$ 8 bilhões por ano, estima pesquisa feita no Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG.  A tese de doutorado, de autoria de Tarik Tanure, ganhou o Prêmio Brasil de Economia de 2020, concedido pelo Conselho Federal de Economia.

 A retração no PIB não é a única consequência das mudanças climáticas projetada pelo estudo. O trabalho também mostra que o fenômeno pode agravar as desigualdades regionais e pôr em risco a segurança alimentar em alguns locais. Isso porque, como o Brasil é um país de dimensões continentais, as alterações no clima afetam a produtividade de forma desigual. Enquanto o Sul e o Sudeste, com exceção de Minas Gerais, devem ser beneficiados em razão da sua localização em uma latitude baixa, as regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, em latitudes mais altas, serão negativamente impactadas pelas mudanças climáticas.

Com o objetivo de estimar o impacto das mudanças climáticas sobre a produtividade agrícola, o pesquisador analisou os efeitos do fenômeno sobre 21 cultivos da agricultura familiar e 21 cultivos da agricultura patronal em todos os estados brasileiros, utilizando modelos econômicos que consideraram, por exemplo, como o clima afeta historicamente a produtividade. O estudo levou em conta dois cenários projetados pelo IPCC, o Painel da ONU para Mudanças Climáticas. O mais otimista prevê elevação da temperatura em torno de 1,8º até 2.100, e o pessimista, aumento de até 3,7º no mesmo período.

Saiba mais no novo episódio do Aqui tem ciência, da Rádio UFMG Educativa.

Raio-x da pesquisa

Tese: Mudanças climáticas e agricultura no Brasil: impactos econômicos regionais e por cultivo familiar e patronal

O que é: pesquisa projeta os impactos das mudanças climáticas sobre a produtividade agrícola dos cultivos vinculados à agricultura familiar e patronal no Brasil e seus potenciais efeitos econômicos.

Pesquisador: Tarik Marques do Prado Tanure

Programa: Pós-graduação em Economia

Ano da defesa: 2020

Orientador: Edson Paulo Domingues

Co-orientadora: Aline Souza Magalhães

Financiamento: Capes

Leia a pesquisa na íntegra no Repositório Institucional da UFMG.

O episódio 55 do programa Aqui tem ciência é apresentado por Beatriz Kalil, com produção e edição de Paula Alkmim. Os trabalhos técnicos são de Breno Rodrigues.

 O programa é uma pílula radiofônica sobre estudos da UFMG e abrange todas as áreas do conhecimento. A cada semana, a equipe da emissora apresenta os resultados do trabalho de um pesquisador da Universidade. O Aqui tem ciência fica disponível em aplicativos de podcast como o Spotify e vai ao ar na frequência 104,5 FM, às segundas-feiras, às 11h, com reprises às quartas-feiras,  a partir das 14h30, e às sextas-feiras, às 20h.

Você pode querer ler

Mais quentes