Comissão discute impactos de eventual privatização da Copasa

By

Consequências para a população atendida e para os trabalhadores serão abordadas com governo e sindicatos.

consequências de uma possível privatização da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) para as populações atendidas no Estado volta a ser tema de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Nesta quarta-feira (2/12/20), a Comissão de Administração Pública pretende reunir governo, Copasa e sindicalistas para avaliar os impactos da venda e, ainda, a situação dos trabalhadores da empresa. A reunião será às 14 horas, no Plenarinho IV.

Acompanhe a reunião ao vivo e participe do debate, enviando dúvidas e comentários.

“A minha expectativa é debater as consequências de uma possível privatização, que vem sendo anunciada pelo governo, para a população e para os trabalhadores”, reforça a deputada Beatriz Cerqueira (PT), autora do requerimento de audiência.

De acordo com informações repassadas pelo gabinete da parlamentar, a Copasa atua em 642 municípios, chegando a 11.553 milhões de pessoas atendidas com o fornecimento de água e 8.194 milhões com tratamento de esgoto. A Copasa e sua subsidiária, a Copanor, somam cerca de 12 mil trabalhadores.

Estudos – A privatização da Copasa já foi defendida publicamente pelo governador Romeu Zema, que autorizou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a realizar um estudo sobre a melhor alternativa para a venda da companhia.

A venda de estatais também é uma exigência do governo federal para que os estados façam adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Em Minas, porém, a Constituição exige que a venda dessas empresas passe por referendo popular e pela aprovação de 3/5 dos deputados estaduais.

Representantes do sindicato que reúne trabalhadores da Copasa (Sindágua) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) já confirmaram presença e vão defender, justamente, a necessidade de plebiscito para a privatização.

Outras audiências na Assembleia já trataram da privatização de estatais, entre as quais reuniões realizadas pelas Comissões de Direitos Humanos e do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social.

Legenda da foto: Governo de Minas autorizou BNDES a estudar melhor alternativa para venda da companhia – Arquivo ALMG – Foto:Daniel Protzner

Fonte: https://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2020/12/01_release_administracao_publica_venda_copasa.html

Você pode querer ler

Mais quentes