Copasa será questionada em audiência por cobranças indevidas

By

Comissão de Desenvolvimento Econômico alega que estatal cobra tarifas com valores integrais por serviços precários.

Em sua primeira Reunião Extraordinária da atual sessão legislativa, a Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) vai debater, em audiência pública, na próxima terça-feira (3/3/20), as cobranças indevidas por parte da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). A reunião será às 10 horas, no auditório, a requerimento dos deputados Thiago Cota e Leonídio Bouças (ambos do MDB) e Arlen Santiago (PTB).

Na justificativa que acompanha o pedido, os parlamentares alegam que a companhia vem cobrando integralmente o valor da tarifa por serviços de esgotamento sanitário que são prestados apenas parcialmente.

Por isso, solicitam que a empresa apresente na audiência a relação dos municípios que já entraram com ação contra ela por cobrança indevida à população, além de relacionar os municípios onde tem concessão e com os quais assumiu obrigações e não cumpriu.

Os deputados pedem explicações, particularmente, sobre “a situação do Distrito Regional de Salinas, onde é efetuada a cobrança pelo serviço de esgotamento sanitário com taxa máxima sem que seja oferecido o tratamento devido”. Os autores do requerimento pedem ainda, com relação a esse distrito, que a empresa explique qual será a economia que poderá ser gerada com sua extinção e especificar quais problemas a população poderá ter com essa medida.

Os parlamentares querem saber também se a estatal informou adequadamente aos municípios sobre como fazer a criação do fundo de saneamento ao qual têm direito com base em percentual relacionado ao número de consumidores. Outro questionamento diz respeito à forma como estão sendo aplicados os recursos dos municípios que não viabilizaram esse fundo.

Convidados – Para participar da audiência, foram convidadas, entre outras autoridades, o presidente da Copasa, Carlos Eduardo Tavares de Castro, e outros diretores da companhia, o diretor-geral da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Minas Gerais, Antonio Claret de Oliveira Junior, e o presidente da Associação Mineira de Municípios, Julvan Rezende Araújo Lacerda, além do deputado federal Igor Timo, prefeitos e vereadores.

Legenda da foto: Municípios questionam má qualidade da água e do serviço de esgotamento sanitário – Arquivo ALMG – Foto:Guilherme Bergamini

Você pode querer ler

Mais quentes