Editorial edição 365

By

Por Welber Moreira

A política continua em xeque: no olho do furacão está o ex-deputado e ex-governador Eduardo Azeredo, acusado de ter cometido uma série de crimes no chamado “Mensalão Tucano”. Azeredo nega as acusações. No entanto, a sorte dele como réu parece estar indo de mal a pior. Isso porque a Justiça Mineira publicou, nesta quinta-feira (26), a decisão do julgamento do recurso em segunda instância que manteve a condenação do ex governador e ex-senador
Eduardo Azeredo (PSDB) a 20 anos e um mês de prisão em processo do mensalão tucano. A defesa tem dois dias úteis para apresentar recursos. Ou seja, até a próxima segunda-feira. Diferentemente daquilo que militantes e representantes dos grupos de esquerda bradaram e bradam ainda pelos quatro cantos do país – que a justiça quer somente condenar membros do partido -, tudo vem acontecendo com aqueles que, de fato, tem “alguma culpa no cartório”. Como dizem vários advogados, ao que parece, o devido processo legal vem ocorrendo e, em breve, mais “figurões” vão responder pelos seus atos. Chega de “colarinho branco solto”. Se cometeu crime, que seja pago,
independentemente do partido. Lula preso, Azeredo e Aécio na mira e tantos outros na “porta” de serem réus. A limpa na política está começando pelo judiciário.

Você pode querer ler

Mais quentes