Editorial: um tapa no preconceito

By

Welber Moreira

Vivemos em uma era em que detalhes ganham grandes proporções e direitos são confundidos com imposições. Bom, antes de mais nada, logo de início, gostaria de parabenizar o Governo do Estado de Minas Gerais, que em meio a entraves, principalmente com o funcionalismo público, prestou uma singela homenagem a casais LGBTs, na última quinta-feira, 28, dia em que comemora o Dia Internacional do Orgulho LGBT. E para celebrar essa data um casamento coletivo de gays e transgêneros foi organizado no estádio do Mineirão. Por sinal, um ambiente costumeiramente machista. No entanto, nesta data, abriu-se as portas para a diversidade, o que é louvável.

Afinal, meus amigos, não é discriminando alguém por sua sexualidade que a humanidade caminha para frente. Aliás, muito pelo contrário. Salutar dizer que o ser humano é o único ser da face da terra com esse estigma enraizado. E diferente dos chamados “irracionais”, discriminar alguém, seja lá por que característica for, é desprezível. O caráter está nos atos, não nos gostos. Não é a orientação sexual que faz o ser humano, mas seu caráter.

O estádio do Mineirão, que em outros momentos, já havia se manifestado favorável à causa LGBT, dá mais um tapa no preconceito e reforça a tese da igualdade para todos. Afinal, se somos todos seres humanos, nada mais digno que abençoar a união daqueles que se amam. Parabéns, Mineirão! Parabéns, Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, sob a égide da Coordenadoria Especial de Políticas de Diversidade Sexual, capitaneada pelo competente Douglas Miranda. O que importa é ser feliz!

Você pode querer ler

Mais quentes