Espaço do Conhecimento UFMG promove debate sobre ‘a cidade que queremos’

By

“Que cidade queremos?” é a pergunta que norteia o primeiro encontro do ano da série Café Controverso, que será realizado neste sábado, dia 18 de março, partir das 11h, na cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG. A conversa envolverá os vereadores Cida Falabella (PSOL) e Pedro Patrus (PT). A participação é gratuita e acessível em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Após as falas de Cida Falabella e Pedro Patrus, o público poderá participar com opiniões e perguntas. O Espaço do Conhecimento UFMG (http://bit.ly/MmXW2l) fica na Praça da Liberdade, 700, Funcionários. Mais informações pelo telefone (31) 3409 8352.

Responsáveis por elaborar as leis e fiscalizar a atuação da Prefeitura, os 43 vereadores de Belo Horizonte são representantes de um dos maiores colégios eleitorais do país, numa cidade de cerca de dois milhões de habitantes. Na última eleição, mais da metade da Câmara de Vereadores foi renovada.

Para Pedro Patrus, que está em seu segundo mandato, as pessoas têm vivenciado cotidianamente a violação e a perda dos seus direitos, principalmente mulheres, crianças, pessoas em situação de rua e LGBTs. “A Câmara tem caminhado para o conservadorismo, com o crescimento da bancada fundamentalista e religiosa”, ele diz, acrescentando que é importante defender os direitos humanos e a participação popular. “A cidade que queremos é a cidade em que as pessoas participam da vida política de todos.”

Integrante do movimento MUITAS, e em seu primeiro mandato, Cida Falabella propõe uma atuação colaborativa e transparente. Para a vereadora, que atua há tempos na cena da produção cultural da capital, “a cidade deve ser um lugar aberto para o debate público, para as diferentes ideias e inclusiva”. Nesse sentido, seu mandato tem foco na defesa dos direitos dos mais pobres, das mulheres, da juventude negra e periférica. “A cidade que queremos é pensar numa cidade que não olha só para o centro, tendo a cultura viva atravessando todas as lutas. A cultura é um instrumento de transformação da sociedade, que afeta, educa e transforma, seja nos Saraus, debaixo do viaduto, nas peças de teatro, apresentações de dança e muitos outros lugares”, conclui.

O Espaço do Conhecimento UFMG tem programação que inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Liberdade e fruto de parceria entre a UFMG e o Governo de Minas, o museu está subordinado à Diretoria de Ação Cultural (DAC) da Universidade, é amparado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com patrocínio da Unimed e do Instituto Unimed.

Você pode querer ler

Mais quentes