Festival de Inverno da UFMG divulga programação cultural gratuita

By

Com apresentações de música, teatro e dança, a programação cultural do 49º Festival de Inverno da UFMG é gratuita e não precisa de inscrições. No dia 28 de julho, o Festival abre com o espetáculo teatral De tempos somos, do Grupo Galpão, e termina, no dia 5 de agosto, com o espetáculo Isso te interessa?, da Cia Brasileira de Teatro. 

Para quem gosta de música, há atrações de hip-hop, samba e música sacra, além de apresentações que abordam temas como o feminismo negro e as ditaduras que existem no Brasil. Os eventos estão sujeitos à lotação dos espaços. A programação pode ser acessada em www.ufmg.br/festivaldeinverno.

Organizado pela Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG, o 49º Festival de Inverno tem como tema Poéticas de Transformação: Criação e Resistência. Segundo a coordenadora geral do Festival, Mônica Ribeiro, a programação cultural foi elaborada a partir deste tema. “Trabalhamos com artistas que têm a experimentação como procedimento para os seus processos de criação”, afirma a coordenadora. Além dos eventos culturais, haverá minicursos, oficinas, aulas abertas e residências artísticas.

Serviço:
Festival de Inverno da UFMG – Programação cultural
Período: 28 de julho a 5 de agosto
Local: Campus UFMG Pampulha e Conservatório UFMG (Centro)
Entrada franca

Cícero Pedro Leão – Assessoria de Imprensa do Festival de Inverno da UFMG
98492-7964 – imprensafestivaldeinvernoufmg@gmail.com

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

28 DE JULHO – SEXTA-FEIRA

19h – Solenidade de abertura Oficial do 49º Festival de Inverno da UFMG
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

19h30 – Filme documentário Festival de Inverno da UFMG – 50 anos
Duração: 12min15s
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

19h45 – Homenagens
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

20h – Espetáculo teatral De tempos somos – Grupo Galpão
Fiel ao propósito de experimentação e de busca de linguagens, o espetáculo é um sarau literário-musical, em que músicas do repertório do grupo são revisitadas. Acompanhadas de textos de diferentes autores, como Calderón de la Barca, Baudelaire, Bertolt Brecht, dentre outros, as músicas, conhecidas do público pelos espetáculos do grupo, são recontextualizadas e recordadas. 

Com direção de Lydia Del Picchia e Simone Ordones, o trabalho se propõe a ser uma experimentação que foge ao rótulo de um espetáculo, lançando aos atores do grupo o desafio da renovação, tanto no material artístico como na relação com o público.

Duração: 1h30
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

29 DE JULHO – SÁBADO

19h – Espetáculo ASARARAS – Mangrove Tentactile & This is not
Duas cabeças se encontram e se confrontam com os seus movimentos, palavras e comandos neurais sobrepostos, fracionando os tempos através de jogos não lineares, vertiginosos e contagiantes. A exaustão e os limites da memória tornam as atenções múltiplas e o movimento involuntário. Quem estabelece a regra?
Duração: 50min
Local: Conservatório UFMG
Classificação etária: livre

20h – Show Ensemble – Artur Andrés e convidados
O show Ensemble incluirá músicas inéditas do compositor e flautista Artur Andrés (ex-Uakti), além de composições de sua autoria, gravadas na vasta discografia do Grupo Uakti. Com Artur Andrés, vao se apresentar Regina Amaral (piano), Rafael Martini (teclados e voz), Alexandre Amaral (flautas, violão e voz), Natália Mitre (vibrafone), José Henrique Soares (marimba) e Bruno Vellozo (contrabaixo). Serão também apresentadas composições de Rafael Martini e Alexandre Andrés, que integram o grupo.
Duração: 1h
Local: Conservatório UFMG
Classificação etária: livre

30 DE JULHO – DOMINGO

18h30 – Show Juarez Moreira convida
Juarez Moreira (violão e guitarra) e Nivaldo Ornelas (flauta e saxofone), dois músicos mineiros, que têm suas vidas inteiramente dedicadas à música instrumental – criando, tocando e produzindo –, se reúnem para show, onde apresentam novas composições autorais e composições mescladas a grandes nomes da música brasileira, como Ary Barroso, Pixinguinha e Milton Nascimento.
Duração: 1h15
Local: Conservatório UFMG
Classificação etária: livre

20h – Espetáculo teatral A Santa do capital – Cóccix Companhia Teatral
A Santa Joana dos matadouros, obra de Bertolt Brecht, se transfigura e o contexto presente traz à luz dos olhos A Santa do capital. As cenas conduzidas por facetas/mascaramentos metamorfoseados nos elementos da carne, do aço, do fogo, da fome, da fé no capital, que se sobrepuja a realidade dos brutalizados… Pobres fiéis da Santa sem alma. Quantas vozes dialéticas possíveis esta Santa pode ressaltar? Qual Santa nos alimenta o estômago? A serviço de quem ela propaga sua, nossa voz?
Duração: 1h20
Local: Conservatório UFMG
Classificação etária: livre

31 DE JULHO – SEGUNDA-FEIRA

20h – Show Carmina Burana: uma cantata cênica – Núcleo de Música Coral da UFMG
Carmina Burana conta com 24 poesias latinas medievais, nas quais não existe o bem sem o mal, o sacro sem o profano e nem fé sem maldições: uma oscilação, em que se encontra a grandeza da humanidade. Nesta criação, dirigida por Ernani Malleta, o Núcleo de Música Coral da UFMG faz uma integração entre as linguagens: música, teatro e dança, mantendo traços da cantata original. Já a encenação foi livremente inspirada nos escritos/poemas e na marcante obra cinematográfica de Jean-Pierre Ponnelle.
Duração: 1h20
Local: Palco no Bosque da Música
Classificação etária: livre

1 DE AGOSTO – TERÇA-FEIRA

18h – Show Eras – Coletivo Negras Autoras
Eras é um show cênico-musical com composições sobre as relações temporais e atemporais entre o universo da mulher negra e o que a rodeia na contemporaneidade. O show é a segunda criação com composições autorais do Coletivo Negras Autoras, grupo formado por mulheres negras, multiartistas, que encontram na arte a forma de descrever o percurso e o posicionamento da mulher negra ativa na sociedade.
Duração: 40 min
Local: Palco no Bosque da Música
Classificação etária: livre

19h30 – Show Narciso deu um grito – Marcelo Veronez
Narciso deu um grito é o primeiro show homônimo do primeiro disco de Marcelo Veronez. Intérprete conectado ao teatro e à música, Veronez faz valer a espera por um show vibrante e cheio de referências ao carnaval, ao teatro de revista e à diversidade de ritmos que é a verdadeira tradição da música brasileira.
Direção musical de Ygor Rajão e direção cênica de Lira Ribas.
Duração: 40min
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

2 DE AGOSTO – QUARTA-FEIRA

18h30 – Performance-instalação Subverta – Centro de Estudos do Gesto Musical e Expressão
Duração: 1h
Local: Bosque da Música
Classificação etária: livre

19h30 – Show de Mônica Salmaso canta Vinícius de Moraes 
Buscando cantar os diversos encontros entre Vinícius de Moraes e seus vários parceiros, o espetáculo Mônica Salmaso canta Vinícius de Moraes traz canções deste compositor em parceria com Tom Jobim, Chico Buarque, Carlos Lyra, Francis Hime, Ary Barroso, Ernesto Nazareth, dentre outros.
Duração: 1h20
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

3 DE AGOSTO – QUINTA-FEIRA

18h – Show Semba samba cultura com Serginho Beagá
O cantor e compositor Serginho Beagá apresenta neste show sambas já conhecidos do grande público como “Me leva”, “Samba guerreiro”, “Brilha por si”, “Bambuzal de Iansã” e outros sambas que apontam a diversidade rítmica do samba, como a gafieira “Pingo é letra” e o ijexa “Ibamolê”. O show terá partido alto, samba dolente, samba afro – uma diversidade de composições, espelhando a força rítmica do samba. Este gênero musical, que completou recentemente o centenário de seu primeiro registro fonográfico, é considerado, como cantado no “Eu do samba”, de Serginho, o “samba identidade da nossa nação”.
Duração: 1h
Local: Praça de Serviços
Classificação etária: livre

19h30 – Concerto do Ars Nova-Coral da UFMG
O Ars Nova-Coral da UFMG interpretará um repertório abrangente, que incluirá obras sacras a cappella, obras acompanhadas por violão e obras de compositores brasileiros de diferentes regiões do País, para mostrar a diversidade e a qualidade do canto coral. Todas as obras são de compositores que atuaram no século 20 e que ainda atuam no século 21.
Duração: 1h
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: livre

4 DE AGOSTO – SEXTA-FEIRA

18h – Espetáculo Pai contra mãe – Cia Fusion de Danças Urbanas
Sete corpos dançantes trazem ao palco os desafios de ser negro e de ser mulher em uma sociedade ainda desigual e opressora. Inspirado no conto homônimo de Machado de Assis, “Pai contra mãe”, o espetáculo busca, por meio da linguagem das danças urbanas, tematizar e promover reflexão acerca de questões que perpassam nossa memória e nosso presente, em que as feridas da escravidão do passado ainda não se cicatrizaram e se multiplicam pela associação de antigas, porém persistentes, e novas mazelas da nossa sociedade: o racismo, a violência, o sexismo, a ânsia por poder e a vaidade humana.
Duração: 1h
Local: Palco no Bosque da Música
Classificação etária: livre

5 DE AGOSTO – SÁBADO

Tarde Hip Hop 
Local: Praça de Serviços
Classificação etária: livre

17h – Show Sankofa – Tamara Franklin e Douglas Din
Sankofa é um show musical que traz vários olhares e reflexões sobre as tantas formas de ditaduras que vivenciamos no Brasil: a militar, a social, a racial, de gênero e de classe. Sankofa, na filosofia africana, é um pássaro africano de duas cabeças, que tem como significado a ideia de rememorar o passado para que possamos resignificar o presente. A proposta é rememorar e estabelecer uma reflexão diante dessas duas realidades, o ontem e o hoje, diante de experiências concretas vividas por tantas pessoas, que, no cotidiano e mesmo de forma anônima, lutam para um país melhor. O show será composto de músicas autorais e releituras, buscando retratar, através da música, as truculências da vida urbana.
Duração: 1h

18h – Show Akofena – Zaika dos Santos
Zaika dos Santos lança Akofena, seu segundo disco, marcando o protagonismo da mulher negra. O álbum da multiartista Zaika dos Santos foi produzido por Dubalizer,  com apoio do Dj Edd. O disco volta seu discurso contra o racismo, machismo, homofobia, transfobia e lesbofobia e fortalece o contexto do feminismo negro, do feminismo interseccional, do afro-futurismo e afro-psicodelia, passando pelo reggae eletrônico à contemporaneidade sonora brasileira.
Duração: 45min

20h – Espetáculo teatral Isso te interessa? Cia Brasileira de Teatro
Pequena epopeia familiar. Quatro gerações de uma mesma família. Acontecimentos banais e marcantes nas trajetórias de vida de cada um. Quarenta e cinco minutos de convivência com a intimidade radical de um grupo de pessoas. A violenta passagem do tempo. A delicadeza. A relatividade do tempo no teatro. A língua como invenção. Adaptação de Bon, Saint-Cloud, texto inédito no Brasil, da autora francesa contemporânea Noëlle Renaude.
Duração: 45min
Local: Auditório da Reitoria
Classificação etária: 18 anos

Você pode querer ler

Mais quentes