Parlamento Jovem contribui para transformação social

By

Potencial do projeto de formação política é destacado em lançamento da edição 2017, que terá 65 câmaras participantes.

“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”. Com essa frase do educador Paulo Freire, o presidente da Câmara Municipal de Capelinha (Vale do Jequitinhonha), Gedalvo Fernandes (PMDB), sintetizou o potencial do Parlamento Jovem de Minas. Ele foi um dos participantes do lançamento oficial da edição de 2017 do projeto de formação política, nesta segunda-feira (27/3/17), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

O PJ Minas é desenvolvido pela Assembleia Legislativa e pela PUC Minas, em parceria com câmaras municipais. Ele é destinado a estudantes dos ensinos médio e superior de municípios mineiros, que estudam e debatem a temática escolhida.

O processo é desenvolvido nas etapas municipais, regionais e estadual, culminando em um documento com propostas sobre o assunto entregue à ALMG. Nesta 14ª edição, vão participar 65 câmaras municipais, das quais 22 são novatas.

Essa possibilidade de contribuir para a transformação social também foi enfatizada por representantes de câmaras municipais e demais participantes presentes na cerimônia. Eles também ressaltaram a importância da formação de jovens que acreditem no papel da política.

“Neste momento pelo qual passa a política nacional, é relevante abrir espaço para a participação da juventude”, acrescentou o presidente da Câmara Municipal de Ouro Fino (Sul de Minas), vereador Antonio Carlos Franceli (PR). Ele comentou que o tema que será discutido neste ano – “Educação Política nas Escolas” – foi bem recebido pela comunidade local.

Também estiveram presentes no encontro representantes das Câmaras Municipais de Pará de Minas, Carandaí, Curvelo, Conceição do Mato Dentro, Ouro Preto e São Gonçalo do Rio Abaixo (Região Central do Estado); Rio Preto, Viçosa e Ponte Nova (Zona da Mata); Andradas, Pouso Alegre, Itajubá, Madre de Deus de Minas, Maria da Fé, São Sebastião do Paraíso e Lavras (Sul de Minas); Bonfinópolis de Minas, Unaí e João Pinheiro (Noroeste de Minas); Taiobeiras (Norte de Minas); Uberaba (Triângulo Mineiro); e Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte).

Importância das câmaras é destacada

Segundo a gerente-geral da Escola do Legislativo da ALMG, Ruth Schmitz, o projeto é encabeçado por legislativos que assumem seu papel na construção de uma sociedade melhor. “O projeto não é da Assembleia ou da PUC. Ele pertence às 65 câmaras que estão participando conosco. Ele não acontece sem essas instituições, porque é na ponta que os processos se realizam”, enfatizou.

Ruth Schmitz relatou que a iniciativa se apoia no diálogo e em processos coletivos de interação. “Envolve muitas responsabilidades de diversos atores. É um projeto em rede”, afirmou.

Para a gerente-geral, o grande legado do PJ Minas é a noção de que política pode e deve ser feita de forma participativa. Ruth Schmitz também comentou a expansão do projeto ao longo dos anos. “Em 2010, foram 12 municípios participantes; já em 2016, 43 cidades. Tem havido um crescimento grande, com responsabilidade, para que o projeto não perca seu sentido”, concluiu.

Sucesso – Refletindo sobre esses números, a coordenadora de Programas e Projetos da Pró-Reitora de Extensão da PUC Minas, Mônica Abranches, salientou que o PJ Minas é um projeto de sucesso. “Atualmente, são 65 cidades organizadas em 12 polos regionais”, comemorou.

Em sua opinião, a universidade tem o dever de implementar ações que contribuam para melhorias sociais. “Dar voz a esse público, preparar jovens para essas discussões, é sem dúvida um investimento bom para nossa sociedade”, comentou.

Encantamento da política

Deputados elogiaram o projeto, que estimula jovens a participarem da agenda sociopolítica dos municípios

Deputados elogiaram o projeto, que estimula jovens a participarem da agenda sociopolítica dos municípios – Foto: Willian Dias

O 2º-vice-presidente da ALMG, deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), que presidiu a reunião, destacou que os pronunciamentos desta segunda (27) relacionados ao Parlamento Jovem demonstram o encantamento da política pautada pela ética e cidadania.

Ele fez a leitura do pronunciamento do presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (PMDB), que salientou a importância do PJ Minas. O texto enfatizou que o projeto abre espaço para a formação cidadã de estudantes e também estimula jovens a participarem da agenda sociopolítica de seus municípios.

Também presente na cerimônia, o deputado Bosco (PTdoB) ressaltou que acredita muito na juventude. “É preciso dar oportunidade para esse segmento. E as câmaras municipais podem ser esse elo com os jovens”, disse.

O evento contou ainda com a presença dos deputados Leó Portela (PRB), Gustavo Santana (PR), Antonio Carlos Arantes (PSDB), André Quintão e Rogério Correia, ambos do PT.

História – As seis primeiras edições do projeto foram sediadas em Belo Horizonte, envolvendo só os estudantes dos ensinos médio e superior da Capital. Em 2010, o programa foi estadualizado. Já em 2014, foi mais uma vez ampliado, com a inclusão de uma etapa regional, que possibilita a participação de mais municípios.

Legenda da Foto: A solenidade de lançamento foi realizada no Salão Nobre e contou com a presença de vários deputados e de representantes de câmaras municipais mineiras – Foto: Willian Dias

Você pode querer ler

Mais quentes