Permita-se sofrer pelo amor perdido

By

Lúcia terminou um relacionamento recentemente com Pedro. Ela sentia que estava fazendo muito pela relação e não estava recebendo a mesma dedicação de volta. Foram anos de convivência e de planos para o futuro. Pois bem. Esses planos não serão mais concretizados.

Ela está sofrendo muito, mas tenta esconder esse sofrimento das pessoas, já que todo mundo diz que ela não precisava mais de Pedro, que ele não era bom pra ela, que ele não merece o sofrimento dela e etc. Ouvir essas coisas faz com que ela acredite que tem algo errado no que ela está sentindo. Ela acha que deveria estar bem, que se tantas pessoas dizem que ela tem que estar “em alto astral” ela deveria mesmo estar assim: positiva e radiante.

Porém, o que essas pessoas não sabem é que: quanto mais Lúcia finge que não liga para o fim do relacionamento, mais tempo ela irá demorar a elaborar essa perda. O primeiro passo para lidar com algo nos angustia é reconhecer que estamos sofrendo e que não damos conta de estar bem o tempo todo.

Algumas pessoas terminam um relacionamento e sofrem por isso. Independente de qual seja o motivo desse término, é importante nos permitir sofrer pela perda dessa relação! Temos uma tendência social a incentivar a superação. Quem nunca ouviu: “Pára de sofrer por causa de fulano(a)!” ?

Mas antes de superar a dor de uma perda, é preciso deixá-la doer. Então: permita-se. Permita-se sofrer pelo amor perdido. Permita-se viver a tão criticada, porém, necessária “dor de cotovelo”. Amanhã será outro dia. Quando sentir que a dor se foi se reconstrua. Ao elaborar a perda, será possível criar novos caminhos, novos planos e novas relações.

Meu nome é Samantha Alves, sou psicóloga e amo reflexões sobre a vida, os sentimentos e os relacionamentos. O propósito do meu trabalho é contribuir para que as pessoas encontrem sentido em suas vidas apesar das dores emocionais.

Samantha Alves Pereira de Souza

Psicóloga Clínica e Organizacional

(31) 98543-5300

samantha.psi@yahoo.com

Você pode querer ler

Mais quentes