#Reviravolta da Escola

By
Fundação SM participa de campanha que irá recriar a escola necessária para o mundo pós-pandemia
A pandemia da Covid-19 trouxe muitos desafios para a educação no Brasil. Da organização do trabalho pedagógico remoto, passando pelo diálogo com as famílias, à estruturação de processos colaborativos e diálogo com outros setores, a crise profunda em que nos encontramos tem convocado redes e escolas a repensar seus objetivos e formas de atuação para que possam atuar na proteção social e na garantia de condições para a aprendizagem e o desenvolvimento integral de suas crianças, adolescentes, jovens e adultos.
Diante da aprovação pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) da resolução que permite que o ensino remoto nas escolas públicas e particulares se estenda até 31 de dezembro de 2021, 78,2% das redes municipais já sinalizaram que irão trabalhar com o formato, como mostrou uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM).
Com o intuito de refletir criticamente sobre este momento, apoiando redes, escolas e territórios a repensarem formas de atuação, o Centro de Referência em Educação Integral lança oficialmente nesta sexta-feira (27.11) a Campanha #Reviravolta da Escola. O movimento conta com a parceria das seguintes instituições: Fundação SM, Alana, Ashoka, Avante,Cenários Pedagógicos, Cenpec, Comunidade Educativa CEDAC, Flacso, Gol de Letra, Itaú Social, Instituto Rodrigo Mendes e Movimento de Inovação na Educação.
O objetivo é promover ações que buscam discutir as aprendizagens vividas em 2020, assim como os caminhos possíveis para se recriar a escola necessária para o mundo pós-pandemia. Abrindo este debate do dia 27, Pilar Lacerda, diretora da Fundação SM será a mediadora da live que acontece das 10h às 12h, no Facebook e Youtube do Centro de Referência em Educação Integral. “Qual o papel da escola neste contexto?” será o tema discutido com a participação de representantes de instituições parceiras da campanha, como Tereza Perez, diretora-presidente da CEDAC; Helena Singer, vice-presidente da Ashoka para América Latina; Consuelo Almeida, gestora do CMEI Pio Bittencourt e Cristiana Berthoud, Secretária de Educação da Estância Turística de Tremembé.
Para participar:
facebook.com /cr.educacaointegral
youtube.com/c/CentrodeReferênciasemEducaçãoIntegral
Sobre a SM Educação
Nascida na Espanha, a SM está presente em 10 países e são mais de 2.300 profissionais e voluntários se dedicando a este projeto. Responsabilidade social, inovação e proximidade com a escola pautam o trabalho da entidade, que tem como objetivo promover o desenvolvimento humano e a transformação social para a construção de uma sociedade mais competente, crítica e justa. Atuante no Brasil desde 2004, a SM oferece um amplo catálogo de serviços educacionais, conteúdos didáticos e de literatura infantil e juvenil no país.
Sobre a Fundação SM
Criada em 1977, com o intuito de devolver à sociedade os benefícios gerados pela SM Educação, a Fundação SM tem a missão de contribuir para o desenvolvimento integral dos indivíduos por meio da Educação. Nesse sentido, trabalha para fortalecer a educação pública, de forma colaborativa com os governos municipais, estaduais e federal, organismos internacionais, organizações da sociedade civil, institutos e fundações.

Você pode querer ler

Mais quentes